Arquivo em Fevereiro 2019

Baptismo da Alexia

Neste dia 27 de Fevereiro de 2019 às 11 horas tivemos um baptismo na nossa Igreja, no aniversário dos pais da menina ALEXIA SILVA MOREIRA, nascida aos vinte e seis de Setembro de dois mil e dezoito em Paranhos, filha de Paulo Alexandre Silva Moreira e de Maria Assunção Silva Casaca Moreira, residentes na Rua Cidade de Vigo, Paranhos – Porto.

Primeiro o Carnaval, depois…

Primeiro vem o Carnaval, depois… entramos na Quaresma. Para nós esta é que é mais importante: A escuta da Palavra de Deus, a reflexão pessoal, intensificar a vida espiritual, rezar mais, não faltar à missa dominical, aproveitar devoções deste tempo como a Via Sacra e a meditação dos mistérios da dor, o conforto da Confissão, etc. Procuremos preparar-nos bem mentalmente para começarmos e vivenciarmos a Quaresma, os 40 dias para chegar a bom porto.

Convívio de amigos


*** CLIQUE NA IMAGEM – VER FOTOGRAFIAS ***

Neste Sábado, 16 de Fevereiro, o Grupo Vicentino realizou mais um dia de convívio. Começou pelas 11 h na Igreja Matriz de Paranhos com uma missa por alma dos falecidos, pelos doentes e pelas intenções dos participantes. No final tivemos uma pequena reunião na Cripta da Nova Igreja e pelas 12,15 partíamos em autocarro da Iberobus para a Ribeira. Fomos almoçar ao “Chez Lapin”. Às três iniciámos o Cruzeiro das seis pontes no Douro para admirarmos as belezas ribeirinhas de Porto e Gaia. No fim, de novo em autocarro subimos ao Terreiro da Sé para uma visita ao túmulo de D. António Francisco dos Santos e breve visita à Sé ainda em obras e de novo passando pela Baixa a panorâmica do exterior da Casa da Música na Boavista. O encontro terminou pelas 17,30 h junto à Cripta da Nova Igreja, com as despedidas e até à próxima viagem ou peregrinação que para alguns será a Geórgia e a Arménia. O grupo reuniu gentes de Viseu, Chaves, Lisboa, Vale de Cambra, Santo Tirso e Porto.

Obras de manutenção

O mês de Janeiro e estes dias de Fevereiro, têm-nos absorvido atenção (e dinheiro) com algumas pequenas “obritas”.

Tudo começou com uma pequena fuga de água no adro da Igreja Matriz: conclusão, afinal, foi preciso retirar toda a velha canalização e colocar nova e por isso, buracos, calcetar de novo, pichelaria nova (e provisória, uma vez que temos projecto de novas casas mortuárias), nas instalações sanitárias exteriores e … depois já dentro do edifício da Igreja, para substituir canos e “castelos” ao esburacar, o melhor é construir uma casa de banho nova e mais ampla e digna.

Entretanto, nos espaços da Igreja Nova , também trabalhos de electricista, a isolar cabos que provocavam disparos de dijuntores, trabalhos de picheleiro na casa de banho das senhoras, instalação de canalização para o gás na cozinha e instalação led no Centro de Convívio.

Não coloco fotos, porque nas Obras o que desejamos é saúde para os trabalhadores e que elas acabem depressa.