Todos os artigos de em Manuel Martins

* Vírus maldito *

De facto… maldito vírus que destrói vidas, separa pessoas e países, coloca a todos a alterar rotinas e que afinal ainda não conseguiu que as pessoas mais afastadas, se voltassem para Deus. Entretanto, nós faremos o que estiver ao nosso alcance para parar esta pandemia e minimizar os seus estragos. Para além do que ontem se escreveu sobre a nossa Vida Paroquial, temos hoje este acrescento que nos vem recomendado (ou imposto?) pela Conferência Episcopal: a suspensão da celebração ‘pública’ da Eucaristia a partir de 23 de janeiro de 2021.

Assim, enquanto durar esta situação, sem missa dominical e semanal, iremos celebrar a missa diariamente às 19 h, na Cripta e transmitida pelo facebook da Paróquia. Não deixem de se “conectar” em directo, nessa hora ou então, não deixem de acompanhar e “visionar” quando puderem.

* Os números da pandemia *

Estamos a assistir a um assustador aumentos dos números da pandemia. Por isso observando o que diz a nota Pastoral do nosso Bispo, na Paróquia de Paranhos são suprimidas todas as acções presenciais. Aliás, já o tínhamos decidido:

1) A Igreja Matriz está fechada, excepto para celebrações da Palavra em funerais. Não há qualquer atendimento.

2) Há algum tempo que já não realizávamos presencialmente qualquer reunião; temos agora mais que justificação. Elas têm sido e continuarão a ser feitas pelos meios telemáticos.

3) A nossa catequese na sua maioria já estava a funcionar à distância exceptuando uma ou outra turma. A partir de agora será apenas à distância pelas várias plataformas digitais.

4) As nossas Eucaristias têm sido no respeito das normas de segurança apontadas pela DGS e pela CEP. Continuarão nos mesmos horários:

Todos os dias na Cripta da Nova Igreja às 19 h;

Ao domingo às 8,30 h na Matriz, às 11 h e às 19 h na Cripta.

Recomendaremos cada dia que no final das eucaristias não haja ajuntamentos ou aglomerações de pessoas na rua no corredor ou em frente do portão da Cripta.

Para mais esclarecimentos consultem – AQUI –

* S. Sebastião, valei-nos *

~ Oração a São Sebastião ~

Glorioso mártir São Sebastião, soldado de Cristo e exemplo de cristão, hoje vimos pedir a vossa intercessão junto ao trono do Senhor Jesus, nosso Salvador, por Quem destes a vida. Vós que vivestes a fé e perseverastes até o fim, pedi a Jesus por nós para que sejamos testemunhas do amor de Deus. Vós que esperastes com firmeza nas palavras de Jesus, pedi-Lhe por nós, para que aumente a nossa esperança na ressurreição. Vós que vivestes a caridade para com os irmãos, pedi a Jesus para que aumente o nosso amor para com todos. Enfim, glorioso mártir São Sebastião, protegei-nos contra a peste, a fome e a guerra; defendei as nossas plantações e os nossos rebanhos, que são dons de Deus para o nosso bem e para o bem de todos. LIVRAI O MUNDO O NOSSO PAÍS A NOSSA TERRA E AS NOSSAS FAMÍLIAS DESTA PANDEMIA DO CORONAVÍRUS. E defendei-nos do pecado, que é o maior de todos os males. Assim seja.

* 2º Domingo Tempo Comum *

Neste domingo dia 17 de Janeiro na missa paroquial das 11 h tivemos a agradável presença e presidência do Sr D. Armando, bispo auxiliar do Porto. Ele viria para a tomada de posse da Presidente do Conselho Central da SSVP do Porto – que devido a este estado de emergência, ficou adiada -, mas veio celebrar connosco e isso foi motivo de muita alegria e surpresa.

* O Tempo Comum *

Com a semana que segue à Festa do Baptismo de Jesus, inicia-se o chamado Tempo Comum do ano litúrgico. O Tempo Comum celebra o “mistério”, na sua globalidade. Realiza isso pela constante referência à Páscoa, que caracteriza os domingos, assim acompanhando e orientando o caminho pascal do povo de Deus, no seguimento de Jesus, rumo ao cumprimento da história. O Tempo Comum pode nos levar a refletir sobre a espiritualidade desse tempo do ano e sobre o sentido do tempo como dom de Deus. Chama-se “tempo comum” para distinguir dos demais momentos. No Ano Litúrgico, como em nossa vida, existem tempos fortes de festa e tempos ordinários, comuns.